"Água, Vida e Natureza" projeto de plantação de legumes e árvores de fruto com 70 por cento menos consumo de água no Equador - Projetos

Equador - Agua, Vida y Naturaleza, plantio de hortaliças e frutas sem irrigação

Agua vida y Naturaleza project in Ecuador while growing various fruit and vegetable speciesIntrodução

Este documento apresenta o Projeto Agua, Vida y Naturaleza (AVNP) iniciado em 3 de janeiro de 2012 no Equador. Se houver qualquer pergunta após a leitura ou se desejar iniciar um projeto semelhante, por favor contate Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Leia aqui os resultados do plantio de sucesso de madeira e árvores de fruto. Leia os resultados das árvores plantadas em La Chocolatera no Equador, que é um dos lugares mais difíceis na terra para plantar uma árvore.

 

Plantar árvores no Equador sem usar sistemas de irrigação e poupar dinheiro com o Waterboxx plant cocoon Plantar árvores no Equador sem sistemas de irrigação e economizar dinheiro em eletricidade e água - use o Waterboxx plant cocoon
Saman árvore 17 meses de idade em
Santa Elena Equador sem irrigação,
com Groasis Tecnologia
Equipe Agua Vida y Naturaleza
com Gmelina árvore 18 meses sem irrigação,
com Groasis Tecnologia

Financiamento do Projeto
O Projeto Agua, Vida y Naturaleza é financiado pela fundação holandesa 'COmON Foundation'. O fundador da COmON é originário da agricultura e apóia o sonho de Pieter Hoff de nos próximos 40 anos reflorestar o mundo com 2 bilhões de hectares de árvores interessantes comercial e ecologicamente. Através do AVNP, o fundador espera tornar isto possível desenvolvendo um modelo que possa ser ampliado e repetido no mundo inteiro.

A Tecnologia Ecológica Groasis de Economia de Água 
A Tecnologia Ecológica Groasis de Economia de Água  foi criada pela Groasis Holland, uma empresa privada fundada pelo inventor Pieter Hoff. A Tecnologia Ecológica Groasis de Economia de Água  (GT) para recuperar ecossistemas e coberturas de vegetação é uma tecnologia biomimética e consiste em:

  1. Melhorar o solo com micorrizas;
  2. Conservar intacta a estrutura de capilaridade do solo;
  3. Utilizar plantas com o tipo certo de raízes primárias;
  4. Utilizar o Waterboxx® plant cocoon, e se necessário, até mesmo plantar em rochas;
  5. Utilizar a broca capilar.

A Tecnologia Ecológica Groasis de Economia de Água  é uma cópia de como a Mãe Natureza resolve o problema de plantar em desertos, áreas erodidas, terrenos baldios e rochas. Utilizando esta tecnologia, podemos replantar áreas desertificadas ou erodidas por ação humana, recuperar a cobertura vegetal e torná-las produtivas de novo com plantação de árvores frutíferas e hortaliças.

Obstáculos para o Pobre
A GT pode ser utilizada por qualquer organismo que queira plantar em áreas secas ou erodidas – sejam governos, ONGs, investidores ou agricultores. O AVNP se dedica aos agricultores vivendo em áreas secas e que enfrentam grandes obstáculos quando desejam iniciar um cultivo:

  1. Acesso quase inexistente a água suficiente para cultivar seus produtos;
  2. Falta de capital para investir, mesmo quando queiram e;
  3. Pouco ou nenhum conhecimento de como cultivar produtos agrícolas de alta produtividade.

Economic Basis
No mundo existem aproximadamente 300 milhões de pequenos agricultores; a cada ano eles são cada vez menos. Devido à falta de remuneração e aos prospectos de um futuro magro, eles param de plantar e se mudam para as cidades. Em 2009, pela primeira vez, mais de 50% da população do mundo vivia em cidades; isto é um desenvolvimento muito preocupante. Em 2050 teremos aproximadamente 10 bilhões de pessoas vivendo na Terra (comparando com os 7 bilhões que acabamos de ultrapassar). Temos que aumentar a nossa produção de alimentos, no mínimo em 43%, para prover os 10 bilhões com a mesma quantidade de comida que temos hoje para a atual população de 7 bilhões. Quase 1 bilhão de pessoas passa fome hoje e os preços de alimentos básicos (arroz, milho, trigo), dobraram nos últimos 3 anos. Está claro que temos de achar uma solução para este problema. Portanto, temos de criar maneiras para que os agricultores pobres consigam produzir mais alimentos e com mais lucratividade! Se conseguirmos fazê-lo, esses agricultores vão permanecer na terra e não se mudarão para as cidades já superlotadas.

A população mundial vai subir e teremos de enfrentar vários problemas como escassez de água e escassez de alimentos

Desafios das Áreas Secas
Áreas secas nos dão oportunidades, mas também desafios. Muitas áreas recebem chuvas suficientes (250 a 500 mm ou 2,5 a 5 milhões de litros por hectare); mas essas chuvas caem de maneira desigual durante o ano. O mapa abaixo mostra (em amarelo, laranja e vermelho) todas as áreas que foram desmatadas pela humanidade nos últimos 2000 anos, mas que recebem água suficiente para ser produtivas. A área total é de aproximadamente 2 bilhões de hectares. Estas áreas um dia foram cobertas de árvores; portanto podem voltar a se cobrir de árvores de novo, se o quisermos. O fato de que árvores cresciam lá significa que não há dúvida de que podem crescer de novo. Existe água suficiente lá para cultivar e obter produtividade.

O mundo foi uma vez coberto com árvores - os seres humanos cortar e queimar florestas eo mundo está ficando mais seco

Porém, embora haja água suficiente todo ano, há um desafio: essa água cai com inconsistência. Caem chuvas por uma ou duas semanas e em seguida vem uma seca de 50 semanas. Vale dizer que produtos que dependam de plantio por sementes (milho, leguminosas, trigo) não podem ser cultivados sem irrigação. Porém, não há água subterrânea suficiente para irrigar o mundo inteiro. Muitos países a têm usado em demasiado e agora já dependem de osmose reversa para obter água doce de esgotos ou até de água salgada (Israel, Jordânia, Oriente Médio). Alguns países já perderam grandes áreas que um dia foram produtivas (Vale da Morte, na Califórnia). Em áreas secas com chuvas suficientes, mas inconsistentes, temos que usar árvores para produzir alimentos. Tais árvores têm a capacidade de crescer nessas áreas, sem problemas, uma vez que elas tenham sobrevivido o primeiro ano – e isto é exatamente o que a Tecnologia Ecológica Groasis de Economia de Água  faz. A próxima foto mostra uma acácia no norte do Quênia. A foto foi tirada durante a grande seca do verão de 2011. Tudo embaixo da árvore está seco e morto; mas, a árvore com 20 metros de altura e uma copa de 30 metros de diâmetro, está indo muito bem. Portanto, árvores capazes de agüentar períodos secos sem chuva e ainda produzir 5 toneladas de frutos por hectare, são a solução para o desafio da fome. Para resolver o problema mundial da falta de comida temos de plantar, com árvores frutíferas, uma parte significativa daqueles 2 bilhões de hectares disponíveis de terra marginal (erodidas, degradadas, rochosas, áridas, etc.).

Uma árvore da acácia em Kenya do norte. A foto é de 2011, quando o verão foi extremamente quente e seco. A própria árvore cresce bem e é muito grande

O Desafio da Liquidez de Capital
A pergunta seguinte é: quem vai plantar as árvores? Em princípio, os agricultores já residentes nas áreas poderiam fazê-lo. Mas, eles são pobres e mal tem o suficiente para viver. E é por isso que tantos deles param. Para eles, plantar árvores é ainda um desafio a mais. Por exemplo: quem vai comprar e financiar as árvores? Nos primeiros 5 a 7 anos elas não são produtivas, mas já requerem manutenção. Quem vai pagar por isso? Como eles vão sobreviver esses 7 anos sem renda? Onde vão achar comida – já tão cara – para sobreviver? A resposta está em desenvolver um programa a curto prazo para gerar uma renda com culturas de mercado. Nós desenvolvemos uma maneira deles produzirem comida suficiente, que garante que eles terão alimentos para eles próprios, renda para viver e dinheiro para investir no plantio e manutenção das árvores frutíferas, o que lhes permitirá subsistir o período de 5 a 7 anos até que as árvores se tornem produtivas. A melhor cultura de mercado para obter isso é o cultivo de legumes.

Com o Groasis Waterboxx plant cocoon você pode crescer 50 quilos de tomate por planta com menos de 20% do consumo médioO objetivo é de produzir 50 quilos de tomates por m2 com 20% menos consumo médio de água.

Leguminosas conseguem agüentar 50 semanas de seca?
Não, não conseguem. Legumes precisam de água suficiente diariamente para crescer e produzir frutos. Um tomateiro que produza 1 quilo de tomate por semana precisa de uma quantidade de água adequada e consistente para fazê-lo. Esta é a razão porque começamos a fazer experimentos com a Tecnologia Ecológica Groasis de Economia de Água  (GT) para descobrir se ela é tão eficiente com leguminosas, como o é com árvores. Experimentos em 2011 foram promissores. Nos experimentos iniciais com as leguminosas (consumo de água 20% menor do que com uso de técnicas tradicionais de cultivo) obtivemos altos níveis de produção de frutos. Para ver fotos dos resultados visite esta página e aqui pode ver os YouTube vídeos.

Clima Controlado
Comparando com árvores, as leguminosas têm outras necessidades além de água. Árvores desenvolveram mecanismos para superar longos períodos de seca. Por exemplo, elas têm raízes de sucção com uma profundidade de até 80 metros onde elas alcançam água capilar. Elas também descartam as folhas quando a quantidade de evaporação das folhas é maior do que a quantidade de água encontrada pelas raízes. O frio das noites nos desertos não impede o seu crescimento. Leguminosas não têm nenhum desses mecanismos de defesa. É por isso que temos de desenvolver ambientes controlados para evitar que condições extremas danifiquem a produção de legumes. Com tal objetivo temos utilizado uma estufa em combinação com um sombreiro. A Instalação de Controle Climático Groasis (GCCH, em inglês), nos permite manter a umidade alta o suficiente durante o dia e manter as temperaturas altas o suficiente durante a noite. No entanto, uma estufa de plástico aumenta demais a temperatura interna durante o dia; para evitar os extremos utilizamos um novo tipo de sombreamento – "sombra branca" – em cima da sombra escura. Portanto, usamos uma faixa dupla de sombra. Em vez de usar apenas um sombreamento escuro (utilizado em 99% dos casos), a faixa branca extra limita a radiação solar. Também suspendemos a faixa 2 metros acima da estufa para que a brisa possa retirar o calor antes que ele atinja a estufa. Este sistema de sombreamento previne o calor durante o dia nos permitindo obter temperaturas equilibradas para cultivar legumes sem excessos climáticos. Juntamente com o Waterboxx® plant cocoon, que dá às plantas diariamente a dose de água necessária, esperamos que esta tecnologia seja capaz de possibilitar o cultivo de legumes em áreas secas.

A Casa de Controle Climático Groasis. Esta estufa tem duas máscaras de encontro em se para um crescimento mais rápido para as plantas

A Instalação Groasis de Controle Climático tem dois sombreamentos superpostos.
Ficam aproximadamente 1,50 metro acima do ponto mais alto da estufa.
A faixa de cima é clara "65% sombra" e o lado de baixo é escuro "50% sombra". Pode-se ver a faixa clara deste ângulo.

O lado da Casa de Controle de Clima de Groasis. A sombra proporciona um arrefecimento óptimo durante as horas mais quentes do dia

Nesta foto se vê as laterais abertas. Podemos enrolar os lados de plástico até uma abertura de 3 metros.

A frente da Groasis Casa de Controle de Clima. As cortinas são mais largas do que a estufa própria e fornecem as plantas o ar mais fresco durante o diaA estufa tem uma largura de 7 metros e a rede de sombra tem 10 metros de largura. De cada lado o sombreamento se estende por um metro e meio além da estufa. Assim se tem sombra de manhã e à tarde, quando o sol não está no ponto mais alto.


Os resultados são surpreendentes. Temos conseguido obter temperaturas mais baixas no interior, sem consumo de energia. Também obtivemos um melhor "clima" com menos diferenças extremas de Umidade Relativa. Além disso, a radiação dentro da estufa é consideravelmente mais baixa. Aqui estão os resultados:

Os resultados são surpreendentes. No Groasis Climate Control House a temperatura é mais baixa do que fora, sem energia!

Alimentação e Renda
Ajudando agricultores pobres a produzir alimentos, criamos a possibilidade para eles de obter comida e renda suficiente. Isto lhes permite plantar árvores frutíferas e aguardar 5 a 7 anos até que elas sejam produtivas. Assim, desenvolvendo um modelo econômico que permita aos agricultores gerar renda, eles desistem de emigrar, começam a produzir mais alimentos e nos ajudam a reflorestar o mundo com árvores produtivas. Se conseguirmos que um exército de 300 milhões de agricultores comece a plantar árvores, os 2 bilhões de hectares de terras que um dia foram férteis, vão se tornar produtivas de novo, dentro de duas gerações. Agua, Vida y Naturaleza é um modelo que garante alimentos e renda suficientes para os agricultores. O modelo pode ser copiado e adaptado a qualquer situação e então espalhado pelo mundo inteiro.

Multiplicação do modelo baseado no fornecimento de instrução, seguido de acesso a capital
O problema dos agricultores é que eles precisam de instrução e capital para iniciar este modelo. Para isso, nos concentramos num modelo de prover treinamento e capital, o que lhes dá uma oportunidade de começar. Se providenciamos apoio financeiro, após ele terem feito os cursos de treinamento, estaremos certos de que eles conhecem a tecnologia, são aptos a gerar renda com ela e que terão comida e fundos suficientes para pagar de volta os investimentos. Uma vez este modelo funcionando, podemos multiplicá-lo para os 300 milhões de agricultores pobres.

Equador como modelo
A 'Cooperativa de Ahorro y Credito' de Guayaquil é um parceiro ideal para organizar o Projeto Agua, Vida y Naturaleza e conta com 54.000 membros agricultores em 56 centros agrícolas. Os 56 postos agrícolas serão os futuros centros de treinamento para os membros da Cooperativa. A central de treinamento será na província de Santa Elena, no Equador, no centro experimental da Universidad de la Peninsula de Santa Elena, o segundo parceiro no projeto. O terceiro parceiro é Groasis Ecuador, o distribuidor local da Groasis. Groasis Ecuador é financiado por duas famílias de empresários com origens agrícolas: a família Sansur que tem uma empresa de implementos agrícolas e a família Nevado que tem a maior e única companhia fornecedora de rosas orgânicas no Equador. O quarto parceiro é a Groasis Holland.

Admissão ao treinamento
O Projeto Agua, Vida y Naturaleza, no Equador, funciona de acordo com um modelo simples de multiplicação através dos seguintes passos:

  1. Procuramos um parceiro confiável que tenha como membros o nosso grupo alvo. Neste caso, a Cooperativa de Credito y Ahorro (CCA), uma cooperativa de agricultores baseada em Guayaquil, é o parceiro. Se alguém estiver interessado em desenvolver um modelo de parceria semelhante conosco, o parceiro pode ser qualquer grupo efetivo – por exemplo: uma tribo, uma comunidade ou uma região – desde que o grupo tenha uma estrutura organizada sólida;
  2. Preferimos um parceiro que tenha uma forte experiência científica – incluindo experiência em instruir alunos. Neste caso, o parceiro é a Universidad de la Peninsula de Santa Elena (UPSE)
  3. O parceiro científico desenvolve o centro de treinamento para os treinandos;
  4. Após receber os treinos, os treinandos vão para as localidades onde os agricultores pobres vivem;
  5. Lá, a Cooperativa inicia os centros de treinamento, uma cópia do centro de treinamento da Universidade; e aí, os então "treinandos" se tornam "treinadores" e começam a treinar os agricultores – os homens , as mulheres e, se quiserem, suas crianças. A CCA, parceira do AVNP, tem 56 postos; o nosso objetivo é ter um centro de treinamento em cada posto nos próximos 10 anos.
  6. O treinamento é teórico e prático;
  7. Após um ano, os estudantes têm a oportunidade de prestar um exame e receber – se aprovados – um certificado da Tecnologia Ecológica Groasis de Economia de Água .

Acesso ao Capital
Após terem passado o exame, os agricultores (ou grupo de agricultores) podem solicitar o capital. Para tanto, estamos à procura de bancos que queiram participar. Neste propósito temos dois parceiros financeiros potenciais. O nosso parceiro cooperativo no Equador tem o apoio financeiro do governo equatoriano. Em janeiro de 2012 tivemos um primeiro encontro com um importante banco privado internacional que estava muito interessado em investigar o modelo com possibilidade de participar. Porém, há um aspecto de risco neste tipo de produção agrícola que os bancos não apreciam. O agricultor, apesar de deter um Certificado de Tecnologia Ecológica Groasis de Economia de Água , muitas vezes não consegue prover garantias. Por esta razão, procuramos ajuda junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento, em Washington (AIDB). Convidamos o AIDB para investigar a possibilidade de desenvolver um modelo onde eles poderiam ter o papel de fiador do supridor de capital. Assim, o AIDB poderia estender a influência de seu capital muito mais longe do que faz hoje. O AIDB demonstrou interesse e agora está acompanhando o Projeto Agua, Vida y Naturaleza. Uma vez que este modelo financeiro tenha sucesso, teremos encontrado uma maneira de multiplicar o modelo para os outros 300 milhões de agricultores pelo mundo afora.

Informações Básicas sobre a Área
Esta proposta é um plano para reflorestar e restaurar o ecossistema da Península de Santa Elena, Manabí, El Oro, Los Ríos, Bolivar, Guayas e Tungurahua,. no Equador. Ajudando os agricultores a produzir comida e gerar renda suficiente, eles estarão aptos a plantar árvores frutíferas economicamente importantes – e mais tarde, talvez até outras árvores importantes para o meio-ambiente. Estas e outras áreas em volta têm sido atingidas por severas secas que têm causado fome, pobreza e colapso econômico na região. Em vez de descrever aqui a situação, recomendamos a leitura dos links abaixo. Eles darão uma idéia dos problemas que esta região e outras em situação semelhante estão enfrentando:

Link 1 >  http://www.eeb.cornell.edu/agrawal/pdfs/other-pdfs/reforestation.pdf

Groasis gostaria de reflorestar alguns ecossistemas no Equador para ajudar os agricultoresGroasis gostaria de reflorestar alguns ecossistemas no Equador para ajudar os agricultores

Link 2 >  Drought disaster in Ecuador March 2011-07-11

Ecuadorian Coast Drought Causes Great Economic Losses

Secas causadas por falta de chuvas na região costeira têm causado pesadas perdas na produção agrícola, de mais de $220 milhões. Cerca de 78.000 hectares de arroz e por volta de 110.000 hectares de milho foram perdidos, de acordo com estudos do Ministério de Agricultura, Pecuária, Aqüicultura e Pesca (MAGAP) e da Secretaria Nacional de Risco.

Cinco províncias na região foram declaradas em estado de emergência, de acordo com o Centro de Operações de Emergência do Equador (COE). As províncias mais afetadas foram Guayas e Los Ríos (90% de perdas). Em Santa Elena, El Oro, e Manabi foram ressecados por volta de 15.000 hectares de arroz, de acordo com reportes anteriores ($156 milhões de perdas, somente na produção de arroz).

Por outro lado, o Governo decidiu suspender as exportações para a Colômbia que estava pronta a adquirir umas 150.000 toneladas neste ano. Esta medida preveniu a escassez doméstica – 90.000 toneladas estocadas na Unidade Nacional de Estocagem; e 50.000 toneladas sob controle das autoridades dos setores industriais, que foram usadas para suprir a demanda interna.

Uma crise semelhante abateu os produtores de milho destas áreas. As cidades costeiras em crise perderam cerca de 110.000 hectares. Produtores de milho perderam uns $71 milhões à razão de $13 por quintal. A seca pode terminar por atingir outros 100.000 hectares de milho.

Visita e Controle
O centro de treinamento GT será na península de Santa Elena - a 1 hora de carro de Guayaquil. Cinco vezes por semana, há um vôo direto de Amsterdam para Guayaquil. Guayaquil é uma cidade de aproximadamente 2,4 milhões de habitantes, com uma rede moderna de hotéis de categoria internacional. Maiores informações. O Projeto Agua, Vida y Naturaleza está aberto diariamente para visitas, com solicitação prévia. Para combinar uma visita, por favor, contate a diretora local do Projeto, Monica Figueroa Suarez, pelo email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Conclusão
esperamos que a presente exposição do Projeto Agua, Vida y Naturaleza sirva de inspiração para o desenvolvimento de projetos semelhantes. Este projeto é baseado no desenvolvimento de um modelo auto-multiplicável, utilizando princípios econômicos sólidos. Este projeto é uma parte importante do nosso esforço para, nos próximos 40 anos, reflorestar com árvores de importância econômica e ecológica, 2 bilhões de hectares de áreas que um dia foram verdes. Agradecemos a leitura e o seu interesse neste trabalho importante.

Aqui encontram-se fotos do projeto:

March 2012 Santa Helena The Agua, Vida and Naturaleza vegetable and fruit tree project in Santa Helena Ecuador funded by COmON
May 2012 Santa Helena Agua, Vida y Naturaleza vegetable, fruit tree and wood tree Project in Sta Elena Ecuador with Universidad de la Peninsula Sta Elena (UPSE)
August 2012 Santa Helena New photos of the Agua Vida Y Naturaleza experiment of growing vegetables and economical interesting trees
May 2013 Santa Helena Growth speed indication with Groasis Technology
Junho 2013 Santa Helena Fundação Charles Darwin em Galápagos desenvolve o plano de restauração do ecossistema 'Galapagos Verde 2050 "
Janeiro 2014 Santa Helena Photoseries duas árvores plantadas como uma semente de 30 polegadas. Uma é agora mais de 5 metros, e a outra logo abaixo

Universidade de Santa Elena Peninsula é o parceiro científico da Groasis

Se quiser obter o texto acima pode baixar o seguinte documento: Explanation of objectives of Agua Naturaleza y Vida Project in Ecuador 2012-2014. Se quiser organizar um projeto semelhante com a Groasis, este documento contém informação básica detalhada: Figures and time table Agua Naturaleza y Vida Project 2012-2014