Criação de plantio de árvores e arbustos | Manuais

Como criar material de plantio para árvores e arbustos?

Diferentes tipos de material de plantio

O sucesso do crescimento após o plantio inicial depende muito do material plantado e do seu sistema de raízes. Para o plantio de árvores mencionamos as cinco opções mais importantes de material de plantio:

  1. Sementes (de híbridos F1, de populações variáveis, etc.);
  2. Mudas de um ano em plugues (de sementes, de estacas, de cultura de tecidos, etc.);
  3. Mudas de dois anos em potes;
  4. Mudas de um ano com raízes expostas;
  5. Mudas de dois ou mais anos com raízes expostas.

Opção 1

Nossos experimentos nos ensinaram algo importante. Semeadura na abertura do centro do Waterboxx® plant cocoon não é um sucesso. Existem várias razões para isso. Duas delas são as mais importantes:

  1. A semente não germina quando é semeada fora do seu período de germinação natural,
  2. Outras sementes, principalmente gramíneas, germinam tão bem, que elas crescem mais rápido do que a semente da árvore e a sufocam.

Conclusão: não plante sementes diretamente no solo com o emprego do Groasis Waterboxx® plant cocoon.

Opção 2

Em geral, mudas de estacas ou de sementes, são plantadas primeiro num espaço pequeno em plugues plásticos e mais tarde, com mais espaço, em potes plásticos maiores. Isto é o transplante.

Estacas em plugues
Depois que as estacas foram plantadas, o seu sistema de raízes começa a desenvolver. Se o enraizamento tiver sucesso, a estaca geralmente desenvolve mais de uma raiz. Estas raízes também são chamadas de raízes primárias. Se retirarmos estas mudas do plugue sem danificar as raízes primárias, essas raízes primárias terão uma grande força para crescer dentro de terra seca ou rochas, mas elas têm menos força que uma raiz oriunda de semente.

O sistema radicular de uma planta ou árvore quando você deixá-lo crescer em plugues

Sementes em plugues
A semente, quando plantada em plugue, vai desenvolver um raizame com a mesma força para penetrar em rochas, que quando plantada diretamente no solo.

O lado menos positivo do uso de plugues ou potes de plástico

Com plugues e potes de plástico temos duas características negativas:

  1. Assim que as raízes comecem a crescer em círculos em vez de verticalmente para baixo, elas vão ter muita dificuldade para crescer verticalmente, depois de plantadas. Muitas vezes sem sucesso. Portanto, com raízes torcidas horizontalmente crescendo num plugue ou pote, essa muda não serve para solos áridos ou rochosos. Vai falhar. Há uma solução para corrigir tal problema. Abordaremos isto mais à frente nesta página. Pode-se impedir que as raízes primárias cresçam horizontalmente enroladas, escolhendo plugues ou potes com um formato que estimule as raízes a crescerem verticalmente para baixo. Escolha um formato de pirâmide invertida, um quadrado ou um modelo com formato irregular. Veja nas imagens um exemplo de plugue com um bom formato.

  2. Se o raizame crescer bem verticalmente, ele irá atingir o fundo do plugue. Se nesse momento o plugue não for plantado, a radícula pára de crescer para baixo e perde parte das células ativas do meristema apical. A radícula vai se dividir em muitas raízes primárias pequenas que serão menos capazes de penetrar em solo árido ou rochoso. Além disso, a radícula vai começar a crescer para cima de novo e a crescer em círculos. Uma vez isso acontecendo esse hábito não muda mais. Vale dizer que se plantarmos um plugue com uma radícula crescendo horizontalmente em círculos, essa raiz nunca vai se dirigir para baixo e começar a penetrar no solo árido ou rochoso. Com sorte, algumas radículas vão desenvolver uma nova raiz principal crescendo para baixo, mas a maioria não vai fazer isso. Esta é a razão porque o plantio de árvores que foram enraizadas em plugues geralmente vai falhar, em rochas ou áreas ressecadas e erodidas, sem a ajuda de irrigação. Em 2007 plantamos mudas de Metasequoia glyptostroboide como experimento. Essas eram árvores com um ano de idade propagadas por estacas e tinham radículas horizontais e circulares nos plugues. As transplantamos em dezembro de 2009, dois anos após o plantio. Nas ilustrações pode-se ver que a maioria das radículas não se recuperou e menos de 20% das mudas sobreviventes desenvolveram uma nova raiz principal. Mais de 50% deste experimento que foi plantado em solo arenoso na Holanda – um país com chuva suficiente – pereceu. Pode-se observar esse mau fenômeno de não recuperação de raízes enroladas nas seguintes imagens.

Groasis desenvolveu uma solução para estes problemas. A solução se chama plugue de papel PENROOT. O plugue de papel PENROOT torna possível plantar árvores, arbustos ou legumes com uma raiz primária intacta. Leia tudo sobre como obter a melhor raiz primária para fazer reflorestamento ou anti-desertificação, para resolver os seus problemas de plantio. O plugue de papel PENROOT é a melhor solução para plantar árvores, arbustos ou legumes em áreas desertificadas, erodidas, arenosas, áridas ou rochosas.

Como reparar raízes primárias destruídas.

Esta série de fotos mostra como fazer a reparação: Raízes primárias destruídas crescendo horizontalmente podem ser corrigidas. Veja nas fotos como isso é possível.

Esta série de fotos mostra o resultado da reparação de raízes primárias destruídas: Observe estas fotos para ver como as raízes primárias se recuperam em quatro semanas se forem podadas até a parte que esteja crescendo verticalmente para baixo.

Plantas com raízes primárias reparadas são a segunda melhor solução para plantar árvores, arbustos ou legumes em áreas desertificadas, erodidas, arenosas, áridas ou rochosas.

Opção 3

A estaca pode ser plantada diretamente no pote definitivo em que vai ser vendida e então o sistema de raízes será destruído como descrito na opção 2. Porém, muitas vezes, árvores plantadas em potes plásticos foram transplantadas de um plugue plástico. Se, durante o transplante do plugue para o pote, as raízes primárias foram danificadas, ocorrerá um recrescimento dessas raízes. Mas, cada raiz que recresce vai produzir algumas raízes primárias que são mais fracas que a original. Essas raízes têm menos força para penetrar em solos áridos ou rochosos.

Esta é a terceira melhor solução para se plantar árvores, arbustos ou legumes em áreas desertificadas, erodidas, arenosas, áridas ou rochosas.

Opção 4 e 5

Com as raízes expostas o sistema de raízes é seriamente danificado quando retirado do solo para ser replantado no local definitivo. Em geral, as raízes primárias são destruídas e a árvore não é adequada para ser plantada em solos áridos ou rochosos. Árvores plantadas com raízes expostas não vão sobreviver em solo seco ou rochoso sem uso de irrigação.

Raizame ou raiz pivotante? Conclusão.

Agora entendemos que a base do sucesso para se plantar em desertos ou rochas é manter o raizame ou a raiz pivotante intactos. Algumas árvores têm melhores raízes pivotantes que outras. Algumas espécies têm como característica um sistema de raízes dividido e outras espécies têm uma raiz pivotante que permanece intacta durante toda a vida. Para plantar em terrenos áridos ou rochosos preferimos espécies de árvores com essa específica raiz pivotante. Essa raiz primária é capaz de penetrar profundamente em solos muito áridos ou em rochas. Algumas raízes têm sido encontradas com mais de 60 metros de profundidade.

Para maiores informações sobre raízes, consulte este interessante artigo na Wikipedia.

Clique aqui para ler outro artigo interessante escrito por ecologistas florestais sobre as raízes das árvores.