Evitar monoculturas combatendo a erosão através do reflorestamento

Monocultura é o cultivo de uma única espécie ou variedade de árvores. Como só existe uma única variedade, esse tipo de plantação tem uma influência muito má na ecologia. Se houver apenas uma variedade, somente alguns animais podem viver delas e ciclos de vida se tornam impossíveis. Isto resulta muitas vezes em pragas, já que não existem inimigos naturais para equilibrar um número muito grande de certos animais (nocivos), em tais circunstâncias.

Os desenvolvimentos atuais de se plantarem grandes áreas de dezenas ou milhares de hectares com, por exemplo, somente Eucalyptus ou somente Acácia, vão acabar se revelando um desastre ambiental maior do que as áreas de savanas o são. No caso de monoculturas é melhor ter um deserto do que ter um deserto verde de monocultura.

Solução

O produto de uma floresta pode ser muito maior se escolhermos uma combinação de árvores interessantes ecológica e economicamente:

  1. Árvores ecologicamente interessantes em áreas de colheita difícil (falhas, ravinas, escarpas, solo realmente pobres);
  2. Árvores economicamente interessantes em combinação, exemplo;
  3. Árvores altas em combinação com arbustos para produção de frutas;
  4. Árvores altas em 5 a 10 variedades em simbiose enquanto crescem;
  5. Árvores altas divididas, quanto ao crescimento, em rápidas, lentas e muito lentas. Corta-se a partir das rápidas até terminar pelas de crescimento mais lento.  
  6. Árvores de crescimento mais lento devem ser de variedades altas para permitir que outras árvores cresçam embaixo delas.

Árvores apropriadas para crescimento combinado

A seguinte é uma lista de árvores apropriadas para prevenir monoculturas (Extraído do documento ‘Wood Energy’ FAO – Unisylva - editor T.M. PASCA):

 

Espécies

Sistema em que a espécie ocorre

Lenha

Madeira

Madeira rural leve

Outros usos

Método de propagação

Chuva anual e condições climáticas/ solo

1. Acacia arabica

Proteção de vento, 
Sombra, 
rotação de culturas.

XX

 

X

Vagens como forragem

Semeadura direta em canteiros, faixas ou fileiras.

Solo aluvial ou argiloso; condições úmidas.

2. Albizzia falcataria

Sombra;
plantação comum em florestas cultivadas.

XX

XX

X

 

Semeadura direta ou mudas cultivadas em estufa.

Grande variedade de solos, mas prefere solo argiloso e boa quantidade de chuva.

3. Bamboo(several spp.)

Cerca vivas; cultivo comum em florestas cultivadas; em volta de casas.

X

X

XX

Matéria prima para indústria caseira; brotos usados na alimentação.

Raramente por sementes; plantio de estacas de caules.

Solos argilosos; chuva moderada a abundante.

4. Calophyllum inophyllum

Sombra para conforto (beira de estradas, em volta de casas, jardins públicos).

 

XX

 

Óleo combustível.

Mudas cultivadas em estufa.

Solo argiloso; condições moderadas a muito úmidas.

5. Cassia siamea

Sombra na lavoura.

XX

X

   

Semeadura direta de sementes em fileiras.

Chuva intensa (crescimento fraco em climas secos).

6. Casuarina equisetifolia

Sistemas de florestas agrárias; proteção de vento.

XX

XX

X

Tanino da casca.

Mudas cultivadas em estufa. Plantio espaçado (1,5 a 2 m de espaço) ou desbaste precoce com menos espaçamento.

Solo arenoso; chuva entre 800 e 5.000 mm.

7. Combretum quadrangulare

Diques de arroz.

XX

 

X

Medicinal

Mudas cultivadas em estufa. Semeadura direta possível.

Solo argiloso; crescimento lento em solo arenoso; chuva de 1500 a 2000 mm em 5 a 6 meses.

8. Cordia alliodora

Sistemas de florestas agrárias. Sombra para plantações de café.

 

XX

X

 

Semeadura direta (sucesso variável). Mudas de estufa – bem espaçadas (ou desbaste precoce). Recuperação natural boa.

Terrenos úmidos e bem drenados; chuva de 1500 a 2000 mm.

9.
Glyricidia
spp.

Sombra para lavoura ou estacas vivas.

X

 

X

 

Semeadura direta ou tocos.

Solos aluviais ou argilosos; chuvas abundantes ou codições úmidas.

10. Grevillea robusta

Sombra em plantações de chá e café. Beira de estradas.

 

XX

   

Mudas de estufa.

Solos arenosos; 700 a 1500 mm de chuva no verão.

11. Leucaena glauca

Proteção de vento; árvores de sombra; em volta de casas.

XX

 

X

Forragem; adubo verde; fixação de nitrogênio.

Semeadura direta ou estacas.

Solos neutros ou alcalinos; crescimento fr chuva de 600 a 1700 mm.

12. Morus indica (M. alba)

Plantação comum para criação do bicho-da-seda. Beira de estradas irrigadas ou plantações em canais.

X

X

 

Folhas para criação do bicho-da-seda.

Plantio direto ou estacas.

Solos leves arenosos. Chuva moderada a intensa (1800 a 2500 mm), ou plantio em canais.

13. Pithecellobium saman

Sombra/ lazer.

XX

X

 

Forragem;
Medicinal.

Semeadura direta ou mudas de estufa.

Solos argilosos; chuva intensa; condições úmidas.

14. Prosopis
spp.

Plantações para lenha; rotação de culturas

XX

 

X

Forragem

Semeadura direta (se irrigada) ou plantio de tocos.

Solos secos, sem umidade excessiva; cresce em solos rochosos ou salinos.

Downloads e links

Leia tudo sobre o cultivo combinado neste documento da FAO

Veja aqui alguns artigos sobre os efeitos negativos das monoculturas:

Monoculture tree plantations are "green deserts" not forests, say activists by Jeremy Hance
Fast-growing poplars may be a profitable way to reforest China, but artificial, single-species forests are unattractive and ecologically unsound, writes Jiang Gaoming.
'Sustainable' Green Deserts by Corporate Watchte