Criação de riqueza, parte 2 - Blog do Mosqueteiro Verde

Criação de riqueza, parte 2

No mundo, temos mais de 3 bilhões buscando um emprego decente para gerar renda própria. Na Europa vivem 60 milhões, desesperadamente á procura de emprego. Em algumas partes os governos provêem uma pequena ajuda, em outras, não há ajuda. A pobreza ronda em cada esquina. Na semana passada, um observador de tendências propôs que, devido á perda de empregos causada pela internet, deveríamos introduzir uma semana de trabalho de 12 horas. Nos séculos 18, 19 e 20, após a chegada do tear, do vapor e depois a revolução industrial, a solução foi criar empregos que fossem produtivos, em áreas que antes não existiam.

Esta é uma opção completamente diferente do que uma semana de 12 horas. Governos organizaram infra-estruturas como canais, estradas, ferrovias. Governos começaram a organizar escolas e educação. Governos começaram a organizar serviços de saúde, órgãos controladores para vigiar a qualidade dos alimentos, implementar regras, prevenir o trabalho infantil e assim por diante. No início do século 20 todas as estradas eram de terra ou areia. Cem anos mais tarde, quase todas as casas estão conectadas por estradas de cimento ou asfalto. No início do século 20 quase nenhuma criança ia à escola. Hoje, quase todo mundo sabe ler e escrever. Em 1900 ninguém tinha eletricidade. Hoje, 90% das casas no mundo tem. Apenas 20 anos atrás, ninguém tinha internet. Hoje temos mais de 10 bilhões de computadores e mais de 5 bilhões de smartphones, a maioria conectada á internet. Portanto, se quisermos re-estruturar nossa sociedade e criar novos empregos, os governos têm de exercer um grande papel. Quem iniciou a solução da crise nos EUA na Grande Depressão nos anos 30 do século 20: não foi o setor privado, mas o governo Roosevelt. Não quero dizer que o governo deva criar empregos. Digo que o governo deveria tentar causar a criação de empregos: criar condições que ajudassem as pessoas a encontrar trabalho que pagasse um bom salário e oferecesse um futuro decente. Isto só é possível com uma visão.

Então, o que é que falta nas nossas sociedades hoje e como podem os governos criar circunstâncias que levem esses problemas a serem resolvidos?

Desafios:

  • A concentração de CO₂ no ar aumenta diariamente. Temos que baixar a concentração de volta para níveis pré-industriais;
  • Precisaremos de comida para 10 bilhões em 2050. Precisamos 50% de produção alimentar extra dentro de 35 anos;
  • Erosão e falta de água. Criamos 2 bilhões de hectares de desertos onde a água mal consegue penetrar e corre em rios para o mar. Lençóis freáticos estão baixando em todos os lugares e 25% da população na terra já vive em áreas com stress de água;

Solução da Árvore para os 3 problemas:

  • Podemos plantar dois bilhões de hectares de árvores frutíferas. A solução criaria 1 emprego por hectare, ou seja, dois bilhões de novos empregos.

Desafio:

  • Dentro de 100 anos teremos que achar uma solução alternativa para a produção de energia a partir de combustíveis fósseis;

Solução

  • Obrigar cada usuário de energia a substituir, cada ano, 1% do seu consumo de energia por energia sustentável. Assim, em 100 anos teremos resolvido o problema da energia. A obrigação vai criar milhões de novos empregos.

Desafio:

  • No ano 2100 seremos 12,5 a 15 bilhões de habitantes. Então mais de 75% da população mundial estará vivendo em cidades. O nosso modo de construir cidades e sistemas de transportes ainda é baseado em modelos da Idade Média. Esse modelo está ultrapassado e provavelmente a maioria das nossas cidades estará demolida antes do fim do ano 2200;

Solução:

  • Começar, em cada país, a experimentar com a construção de modelos completamente novos de cidades onde a vida, o trabalho, a produção, recreação e transporte sejam integrados de maneira sustentável. A obrigação de construir novos modelos de cidades criará, provavelmente, 2 bilhões ou mais de empregos.

Estou certo de que podemos criar centenas de milhões de empregos com idéias novas. Nosso mundo não está pronto, pelo contrário. Não podemos trabalhar só 12 horas por dia e ficar sentados em casa o resto da semana. Pelo contrário. O desafio de criar empregos, vida decente e prosperidade para os 12,5 a 15 bilhões que estarão conosco no final deste século, é inimaginavelmente enorme e não poderemos descansar antes de termos tentado gerar emprego, renda e prosperidade para cada um. Podemos fazê-lo!

Pieter Hoff, 
O Mosqueteiro Verde